Check Up Médico
A Importância do Check-up Cardiológico
7 de outubro de 2019
Uso de vastatinas na gestação: atualização
20 de fevereiro de 2022

Para fazer avaliação de risco cardiovascular em mulheres existem algumas particularidades de devem ser levadas em conta, principalmente pelos cardiologistas clínicos no consultório.

No continuum cardiovascular nas mulheres em cada fase devemos lembrar dos chamados fatores de risco “emergentes” envolvidos, há os mais prevalentes na fase reprodutiva, e outros que incidem em diversas faixas etárias.

Fatores de risco emergentes nas mulheres:
– Hipertensão na gestação
– Diabetes gestacional
– endometriose
– Síndrome dos ovários policísticos
– Migrânia
– Doenças reumatológicas
– Tireoidopatias
– Menopausa precoce.

A menopausa precoce já é bem estudada como fator de risco, apesar de não estar na calculadora de risco para 10 anos (ASCVD), serve hoje como um sinal de alerta para identificar essas pacientes.
Em 15 de setembro de 2021, foi publicado na revista JAMA cardiology um estudo de coorte que usou dados de 7 populações americanas incluindo o WHI, foram 5.466 mulheres negras e 10.584 brancas, incluindo com menopausa precoce mulheres até 40 anos.

As negras tiveram quase o dobro de menopausa precoce em relação as brancas (17,4% x 9,8%) e houve uma associação estatística como fator de risco independente nestas mulheres, sendo o aumento do risco de 24% para mulheres negras e 28% para mulheres brancas.

No grupo de pacientes que tinham menopausa precoce havia um leve aumento da pressão arterial, do excesso de peso e da glicemia comparado as mulheres sem menopausa precoce, e talvez seja esse o mecanismo do aumento do risco de DCV.

Como não podemos intervir na menopausa precoce uma vez que a reposição hormonal para prevenção cardiovascular não tem evidência de benefício, cabe a nós clínicos intensificar o tratamento dos fatores de risco tradicionais modificáveis (sedentarismo, obesidade, HAS, DLP, DM), para isso é necessário estar atento no consultório para na anamnese estabelecer o “status estrogênico” da paciente e identificar em que fase do continuum cardiovascular ela se encontra.

Freaney PM, Ning H, Carnethon M, et al. Premature Menopause and 10-Year Risk Prediction of Atherosclerotic Cardiovascular Disease. JAMA Cardiol. Published online September 15, 2021. doi:10.1001/jamacardio.2021.3490

Premature Menopause a ‘Warning Sign’ for Greater ASCVD Risk – Medscape – Sep 20, 2021.
https://www.medscape.com/viewarticle/959082

Iniciar WhatsApp
Como posso te ajudar?
Olá!
Posso te ajudar?